Distrações


.

A mãe de Larissa chamava sua atenção constantemente. Todos tinham que gritar seu nome para que ela ouvisse. Mas não porque ela era surda, na verdade, ela era bem distraída. Foi essa desatenção, ou "excessiva distração" como sua amiga Nathalia chamava, que fez com que Lari fosse bem atípica.
Era sábado de manhã, e Larissa foi até a lanchonete próxima a praia, como de costume. Entrou e sentou em qualquer banco pegando o cardápio.
Um rapaz, começou a pigarrear. Mas Larissa não deu muita atenção, estava mergulhada em seus pensamentos. Eram pensamentos malucos, perguntas para si mesma, reflexões que somente  ela mesma se entenderia.  Passou-se alguns minutos e ela continuou a olhar fixo para o cardápio, sem prestar muita atenção. Ainda estava preocupada com outras coisas, quando:
— Tem que pedir antes da meia noite. A lanchonete fecha, sabe?
Larissa pulou da cadeira. Seu coração estava disparado, quando repentinamente notou um rapaz  desconhecido na mesma mesa. Ele riu.
— Eu a assustei?
— Ah, não... por que eu estaria assustada? — respondeu em um tom sarcástico — Tem um monte de mesas e um completo desconhecido se senta bem na minha frente! Eu posso saber por que tá sentado aqui? — Larissa o fuzilou com os olhos.
— Eu te faço a mesma pergunta. 
— Vem cá, você é doido?
— Provavelmente, não tanto quanto você. Ou talvez eu seja louco e você cega!
— Que grosseria! 
O rapaz riu outra vez.
— Tudo bem, apesar de eu ter chegado aqui primeiro. E você ter ocupado o meu lugar, — dizia gentilmente — eu vou ser educado e escolher outra mesa.
— Como assim você chegou primeiro?!
— Cheguei. E se aqui tivesse uma câmera, eu provaria pra você.
Larissa ficou muda. Como poderia ter ocupado uma mesa que já estava ocupada! Seria tão distraída, a ponto de além de ser "surda", ser "cega" também?
— Eu... er... — gaguejou.
— Tá tudo bem, eu já disse. — o rapaz estava se levantando quando Larissa o puxou de volta.
— Ah, me desculpe! Por favor, fique aqui. Eu vou pra outro lugar e perdoe a confusão. — ela ficou vermelha. 
— Nós podemos dividir a mesa, então?
Larissa sorriu. Deixou por um momento suas distrações, e começou a perceber o rapaz bonito que ele era. Alto, cabelos castanhos claros, belo sorriso... mas até sua beleza a distraiu. Foi assim, que Larissa o conheceu. Aquele desconhecido que transformou-se em seu futuro marido.

4 Responses to “Distrações”

  1. Olá muito obrigada pela visita, acabei de l~e os 2 ultimos post! Boa escritora, depois com calma irei ler o restante!
    bjssssssssssss

  2. Ju says:

    Amei!! Adoro como esses fatos "ao acaso" (existe acaso? Existe destino? Sei lá...) mudam totalmente as nossas vidas. Tudo é mágico, é só querer ver a mágica!

    Ah, vc poderia por favor me dizer seu nome? É que é estranho querer te elogiar e ter que te chamar de a autora rsrsrsrs

    Bjs

    www.pessoaesdruxula.blogspot.com
    www.minhasepifaniasalheias.blogspot.com

  3. É, há vezes em que não se enxerga ou não se acredita nos **sinais**... ...que são mesmo possíveis para nós... ...

  4. A autora says:

    Oi meninas, obrigada pelos elogios! Me deixa super feliz ler os comentários de vocês!
    Bom, eu acredito em oportunidades e escolhas.
    Ah, e o nome do ser que vos escreve é Ana :)

Your Reply